segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Choveu de novo

A chuva caía lá fora. Às tantas, todos nós nos habituámos, já sabemos que precisamos sempre de um chapéu, de nos preocuparmos em levar um casaco e sapatos impermeáveis. Mas houve um dia especial. O dia em que a chuva parou. Nesse dia continuamos a sair com o chapéu e com as roupas impermeáveis, mas apercebemo-nos entretanto que parou e o Sol brilha bem lá no alto.
Ficamos tão felizes, tão extasiados com este acontecimento, com esperança de que nunca mais chova, de que possamos assistir ao pôr do Sol todos os dias, sem parar.
Mas é assim que acontece... No dia seguinte acordamos com o barulho de gordas gotas de água a baterem nas paredes do quarto onde dormimos. Olhamos pela janela e o alcatrão está molhado; ao ligarmos a aparelhagem ouvimos 1 minuto de tráfego sobre o número de acidentes que se deram na última hora.

Choveu de novo. A esperança morreu.

1 comentário:

  1. Muito bem Mana!! Parabéns, Gostei dos teus textos, muito! :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar